Procurando algo?

16/08/2013

Sexo, machismo e inversão dos papeis

Estava eu navegando na internet quando de repente encontro um link para esse post polêmico da revista Capricho. Antes de continuar lendo esse texto, leia o depoimento da menina no link acima.

Muita gente vai culpar a menina, por ter convidado o rapaz para a casa dela, achando que isso da ao rapaz o direito de forçar a barra e agir de forma estúpida.
De uma coisa eu tenho certeza: se ela não tivesse escrito um depoimento tão negativo e triste sobre o ocorrido, talvez eu não estivesse escrevendo esse texto.

As adolescentes passam por fases de vulnerabilidade, e é muito fácil reprimir a mulher em uma cultura que não considera passar a mão na bunda de uma mulher assédio, e forçar totalmente a barra como estupro.
Ninguém nos ensina que devemos nos amar, nos respeitar e impor respeito. E ninguém ensina os homens a respeitarem o corpo da mulher, nem a mulher em sí.

A  mídia prega para nós mulheres desde meninas, a ideia de que o principe existe, de que sexo tem que ser com amor. E para os homens, a mídia cria o ideal de "homem viril", "homem macho e pegador". E essa realidade reproduz o machismo.

E enquanto a mídia criar homens e mulheres machistas, nós iremos continuar vendo notícias tristes como esta da Capricho, que são depoimentos de abuso sexual disfarçados como "histórias tensas" (pelo menos foi assim que aquele depoimento foi descrito pela revista).

Se possível, por favor responda a enquete abaixo.


Você acha que vivemos em um país machista?
Sim, um pouco
Não
Sim, muito machista
Não, só escuto piadas machistas de vez em quando
Sim, pois o machismo se infiltrou nas raízes da nossa sociedade
Não, o mundo é feminista
Sim, o Brasil trata a mulher como objeto sexual e vive a cultura da bunda e dos padrões de beleza
Não, pois o machismo existe apenas em países muçulmanos/islamicos

Até o próximo post.
Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem escreve?

Professora, tradutora e micro empresária da UP Língua Inglesa. Chama-se Martina Domingues, tem 23 anos e nasceu em Florianópolis - SC. Viajada, aventureira e blogueira nas horas vagas. Ama música, adora decorar a casa e também gosta muito de escrever. É na madrugada que ela geralmente vem aqui para escrever sobre qualquer coisa ou compartilhar o que acha pela internet com vocês.