Procurando algo?

26/08/2015

Polêmica: bandida e poderosa, a visão da atual mulher por Mc Mayara

Quem nunca viu um desenho de pênis na parede da escola ou no banheiro da estação de ônibus? A impressão que temos é que diariamente através de pequenas atitudes, alguns homens sentem-se superiores e orgulhosos pelo simples fato de possuírem um órgão genital masculino. A cantora de eletrofunk Mc Mayara produz músicas com videoclipes que divulgam a ideia de um empoderamento feminino e do poder da vagina de forma divertida e engraçada.

Com a aparição de suas amigas travestis em seu videoclipe "Ai como Eu Tô Bandida" o movimento GLST foi igualmente promovido, para demonstrar que a cantora também apoia o movimento.

Comentários negativos e críticas foram rapidamente lançados para a equipe e para Mc Mayara através das redes sociais após a publicação do videoclipe. Mas a cantora e compositora não pode se expressar como artista - ou até como mulher? Será que se ela fosse um homem, as pessoas iriam aceitar seu trabalho e até achar engraçado?

Nós estamos falando da atual liberdade de expressão que o século 21 e a mídia estão proporcionando as mulheres e as minorias pouco a pouco no Brasil.
Mayara Juliana de Souza, conhecida como Mc Mayara nasceu na cidade de Curitiba no Paraná e tem como objetivo divulgar o eletrofunk e lutar contra os preconceitos da sociedade brasileira.

Agora, assista ao polêmico videoclipe "Ai como Eu Tô Bandida"  abaixo e depois nos conte o que você achou:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem escreve?

Uma professora de inglês e futura estudante de Letras na UFSC. Chama-se Martina Domingues, tem 22 anos e nasceu em Florianópolis - SC. Viajada, aventureira e blogueira nas horas vagas. Ama música, adora decorar a casa e também gosta muito de escrever. É na madrugada que ela geralmente vem aqui para escrever sobre qualquer coisa ou compartilhar o que acha pela internet com vocês.