Procurando algo?

01/09/2014

A menina que eu encontrei

Ontem eu encontrei uma menina linda que magicamente surgiu no meu quarto. Os cabelos lisos sobre a face não escondiam o seu olhar profundo e misterioso. Ninguém tinha certeza se seus olhos eram verdes ou azuis, mas o que importava é que eles prendiam a atenção das
pessoas. Os seus lábios eram finos, mas quando ela os abria para cantar, ouvia-se o cantar de um anjo.

 Ela escrevia histórias, textos e poesias. Frases como "as pessoas ricas de verdade são aquelas que encontram a riqueza dentro delas mesmas", "as pessoas inteligentes são aquelas que vêem na feiura a beleza" e "a perfeição existe, ela esta nos olhos do coração" foram de sua autoria. A doçura do seu jeito podia ser encontrada na ternura de suas palavras. E admito que eu nunca tinha conhecido uma menina tão inteligente e tão criativa daquele jeito antes. Tudo que eu queria naquele momento era ficar muito próximo dela, numa tentativa de captar sua essência.

Muitas pessoas lhe diziam que ela nasceu com um dom. Não é fácil encontrar pessoas bonitas que sejam inteligentes também, mas preste atenção que você pode encontra-las onde você menos espera - às vezes até dentro de você mesmo - dizia ela.

Esta menina também era autodidata, tanto é que dominava duas línguas. Algumas pessoas lhe diziam que ela era maravilhosa e que era raro de encontrar pessoas assim no mundo. Tive sorte por ter a chance de conhece-la. Muita gente não tem esta chance. Às vezes conhecemos muitas pessoas com espírito de porco.

Ao tocar teclado, ela cantava ao mesmo tempo com alegria. Dominava algumas músicas e outras no violão. Às vezes ela criava suas próprias canções, e disse já ter criado o refrão de uma canção na pureza e na loucura de seus sonhos. Lá pelos três anos, ela criou sua primeira melodia quando estava dentro do carro, sentada na cadeirinha de bebê (pelo menos foi isso que sua avó lhe contou). Loucura, não?

Determinada, corajosa e aventureira, ela viajou o mundo sozinha. Apreciou as diferentes culturas e mergulhou na sua própria, refletindo-se, para conseguir compreender as outras.
Ela era uma pessoa que além de refletir-se muito, adorava ensinar. E todos a diziam que ela ensinava muito bem! Ela tinha toda a paciência do mundo em sua mente e toda a delicadeza em suas mãos; e é claro, todo o conhecimento sobre aquilo que era de seu interesse.

E ela maquiava-se como uma profissional, pousava para as fotos como uma modelo famosa e cantava como um anjo quando lhe pediam. Ela era tudo aquilo que qualquer garota de qualquer idade queria ser: uma talentosa e dedicada garota que muitos invejavam. Seu jeitinho de menina e corpo de mulher chamavam a atenção do sexo masculino, e suas qualidades, admiravam todos aqueles que tinham sensibilidade para percebe-las.

"Escute as pessoas que gostam de você." - ela dizia. "E ignore aqueles que não são corajosos o suficiente para te abrirem os braços."

Então eu despertei de meus pensamentos. E esta menina subiu as escadas do porão da minha subjetividade com tanta classe e confiança e entrou para o plano real. Sim! Ela existe! E com todas as suas qualidades e talentos! Me emocionei. Na escuridão da dor e na ilusão da tristeza, quase não dava para ver seu reluzente brilho.  Então eu levantei-me da cama naquela madrugada e olhei-me no espelho. Finalmente ela estava lá, no mundo real, sorrindo com lágrimas sob sua face. Eu finalmente a encontrei. E ela era eu mesma.

7 comentários:

  1. Que texto lindo,vc escreve muito bem Martina

    ResponderExcluir
  2. Post muito lindo, no começo eu fiquei viajando achando que era um garoto que a avia encontrado e se apaixonado por ela e depois achei que era um fantasma, mas no final tudo fez sentido heuheuheuheu
    http://heartcoffee1.blogspot.com.br/2014/08/o-que-e-um-brazzang-concursos.html

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto, Martina! Segundo minha interpretação, ele mostra o quanto somos belas e perfeitas, apesar de todas as imperfeições. Devemos dar menos exclusividade aos defeitos e valorizar mais nossas qualidades e por em prática nossos dons. Foi tão real o fim do post, que nós - leitores - acabamos nos emocionando junto com a personagem.

    Um beijo,
    Depois dos Dezoito

    ResponderExcluir
  4. Martina, sempre surpreendendo! Uma das coisas mais difíceis, se encontrar! Que belo texto, parabéns! Não tenho palavras ou adjetivos que possam dizer o que senti ao ler.

    ResponderExcluir
  5. Martina,

    Parabéns pela qualidade do texto.

    Considero-o uma feliz demonstração da tua auto-estima.

    Sim, és melhor do que pensas ser, mas faz-te sempre acompanhar por uma boa dose de humildade.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção: onde está «demonstração» deve ler-se «manifestação».

      Segue-se uma canção dedicada a uma menina que eu encontrei:

      https://www.youtube.com/watch?v=KAggWL7WuGo

      Excluir

Quem escreve?

Uma professora de inglês e futura estudante de Letras na UFSC. Chama-se Martina Domingues, tem 22 anos e nasceu em Florianópolis - SC. Viajada, aventureira e blogueira nas horas vagas. Ama música, adora decorar a casa e também gosta muito de escrever. É na madrugada que ela geralmente vem aqui para escrever sobre qualquer coisa ou compartilhar o que acha pela internet com vocês.